terça-feira, 25 de agosto de 2009

Barreiro - Mercado 1º. de Maio

Acrílico sobre tela 50 cm x 40 cm

Foto
Mercado 1º. De Maio
O lançamento da 1ª. Pedra para a construção deste mercado teve lugar em 30/07/1916. Quanto à cobertura do mercado, desistiu-se, naquela época, da sua construção, pois a despesa, 8 contos 772 escudos, não cabia na verba orçamentada. Esse melhoramento só foi possível de executar em 1933, custando então perto de 210 contos.Concluido o mercado, a C.M.B. aprovou em 16/10/1917 o seu Regulamento após o que entrou em funcionamento. (Respigámos estas notas do “Barreiro Antigo e Moderno” de Armando da Silva Pais.

2 comentários:

olhodeagua disse...

Caro Álvaro, actualmente não gosto de fazer compras no Mercado 1º de Maio; prefiro ir ao do "Nicola" (para mim será sempre o Mercado do Campo do Luso).
Discordo, na generalidade, que se valorize e dinamize o centro do Barreiro, em detrimento do restante território (freguesias).
Suponho que o dinheiro que se gastou no Mercado 1º de Maio dava para reconstrui-lo, e também o do "Nicola".
Quem é que teve a triste ideia de ocupar o "espaço" onde estava a estátua do Alfredo da Silva, com um edifico? - será para acesso ao estacionamento subterrâneo ou será um quiosque? Parece-me que retira funcionalidades e utilizações futuras ao Largo!

olhodeagua disse...

Caro Álvaro, não entendo a linguagem arquitectónica catalã, irrita-me a máquina francesa dispensadora de senhas e receio ter um acidente rodoviário ao sair do parque de estacionamento auto, mas por favor não me chamem conservador!
Senhores arquitectos barreirenses, Fernando Magalhães, Miguel Amado e Tiago Neves, estou convencido que qualquer um de vós era capaz de conceber uma solução arquitectónica e de planeamento urbanístico melhor; Vós não?!